1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. Análise fundamentalista de ações: o que é e como fazer?

Análise fundamentalista de ações: o que é e como fazer?

Decidir sobre o investimento em empresas da bolsa de valores exige mais que escolher entre ações ordinárias e preferenciais. É preciso pensar em todo o contexto no qual o negócio está inserido e nas perspectivas para o futuro. Nesse sentido, é essencial realizar a análise fundamentalista de ações.

Por meio dela, você encontrará informações relevantes sobre as empresas da bolsa e o aporte nesses ativos. Desse modo, será mais fácil escolher os papéis adequados para a sua estratégia de investimento.

Neste artigo, você descobrirá o que é a análise fundamentalista de ações e quais são os benefícios de fazê-la. Confira!

O que é a análise fundamentalista de ações?

A análise fundamentalista de ações consiste em um método de avaliação de empresas, com o objetivo de conhecer sua situação econômica e financeira atual, além das perspectivas para o futuro. Ela funciona com base na busca pelos fundamentos do negócio e seus impactos nos resultados da companhia.

Uma empresa que apresente fundamentos sólidos, por exemplo, tende a se consolidar no mercado. Ela também apresenta mais chances de se valorizar, o que pode ser um indício de que ela é um bom investimento.

Para que ela serve e por que é importante usá-la?

Após entender o conceito da análise fundamentalista, você deve considerar quais são as suas utilidades e a relevância de usá-la.

Primeiramente, ela tem a função de fazer um diagnóstico objetivo da situação da empresa. Logo, ela foca em compreender a condição econômica, financeira e mercadológica de maneira aprofundada.

Essa análise também permite fazer projeções sobre o negócio. Um empreendimento que apresente um histórico de evolução quanto a seus fundamentos, por exemplo, apresenta uma perspectiva melhor. Já uma empresa que demonstra inconsistência nos resultados pode ser menos atraente.

Esses aspectos são essenciais para investir em ações. A partir dessa avaliação, é possível saber quando uma companhia é uma boa oportunidade e quando exige mais atenção quanto aos riscos, por exemplo.

Quais os riscos de investir sem realizar a análise fundamentalista?

Como você viu, efetuar a análise fundamentalista é importante para tomar decisões de investimento em ações. Não recorrer a essa avaliação, por outro lado, pode trazer diversas desvantagens.

Um dos riscos de não realizar esse processo é a maior chance de erros na escolha dos ativos. Afinal, não é porque uma ação está com um preço considerado baixo ou porque muitas pessoas estão investindo nela que ela é uma oportunidade.

Sem a análise fundamentalista, é difícil perceber essas nuances e tomar uma decisão embasada. Logo, as chances de ocorrerem prejuízos se tornam maiores.

De modo oposto, pode haver uma perda de boas oportunidades. Quando você não executa a avaliação, pode acreditar que a queda de um papel o torna uma escolha ruim para a carteira, por exemplo. Porém, dependendo do caso, essa pode ser uma oportunidade de comprar os ativos de forma descontada.

Quais são os principais indicadores fundamentalistas?

O próximo passo para compreender a análise fundamentalista envolve entender a importância dos indicadores fundamentalistas para essa análise. Eles são métricas que permitem avaliar e comparar o desempenho da empresa e fazer projeções sobre os seus resultados.

Na hora de usá-los, vale conhecer aqueles que são mais importantes. Veja!

P/L

O P/L representa o preço sobre o lucro por ação de uma ação em determinado momento. Com isso, ele indica se o mercado está disposto a pagar um preço acima ou abaixo do que o negócio gera de resultados.

Um P/L menor que 1 pode indicar uma ação descontada, mas também pode representar pessimismo do mercado. Por isso, os indicadores devem ser analisados em conjunto para dar uma visão mais acertada do cenário da empresa.

P/VPA

Já o P/VPA é a relação entre o preço e o valor patrimonial por ação. De modo semelhante ao que acontece com o P/L, o P/VPA permite identificar se o mercado está disposto a pagar mais ou menos pelo patrimônio da empresa.

Um P/VPA abaixo de 1, por exemplo, pode indicar uma ação descontada, desde que outros indicadores corroborem a análise.

Margem Ebitda

O Ebitda representa os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização. Ele demonstra o lucro operacional da empresa, indicando a geração de resultados apenas pelas operações do negócio.

A margem Ebitda, por sua vez, é dada pelo Ebitda sobre a receita líquida. Assim, é possível saber qual é o nível de eficiência corporativa.

Dívida bruta/Patrimônio líquido

A relação entre dívida bruta e patrimônio líquido é um múltiplo fundamentalista que ajuda a conhecer o comprometimento do patrimônio pelas dívidas do negócio. Em geral, um resultado maior indica um nível mais elevado de endividamento.

Como consequência, o risco também pode ser mais elevado, o que pode afastar a decisão de investimento.

Dívida líquida/Margem Ebitda

Outro múltiplo de endividamento relaciona a dívida líquida à margem Ebitda. Por meio dele, é possível compreender quanto da margem é comprometida pelas dívidas da companhia em determinado período.

Novamente, um valor elevado indica que o negócio está endividado ou que tem uma margem baixa — duas situações que exigem cuidados.

Dividend yield

O dividend yield é dado pela relação entre o total de dividendos pagos nos últimos 12 meses e o preço da ação. Assim, é possível conhecer o retorno do investimento em relação aos proventos distribuídos.

Por meio dele, você identifica se a empresa é uma boa pagadora de dividendos, e pode avaliar se ela se alinha aos seus objetivos — especialmente quando o interesse é obter renda passiva.

Retorno sobre patrimônio líquido

O retorno sobre patrimônio líquido (ROE) é dado pelo lucro líquido sobre o patrimônio líquido. Com isso, é possível saber qual é a capacidade da companhia em gerar lucro com base em seus próprios recursos.

Em geral, um ROE maior indica uma empresa mais saudável e eficiente, o que pode representar uma oportunidade melhor de investimentos.

Como fazer uma análise fundamentalista de ações?

Como você viu, a análise fundamentalista de ações é essencial para embasar suas decisões de investimento. Por isso, para realizá-la você deve começar buscando os dados nos relatórios e demonstrativos das empresas.

Depois, é preciso analisar as informações de forma contextual. Lembre-se de que é necessário usar diversos indicadores para entender o panorama real do negócio.

Também é possível comparar os indicadores entre diferentes empresas do mercado. Porém, é preciso fazer essa comparação com empreendimentos do mesmo segmento e com atuações semelhantes para uma avaliação mais acertada.

Além disso, caso tenha dificuldades para fazer a análise fundamentalista, pode ser interessante buscar carteiras recomendadas. Elas são portfólios equilibrados, criados por analistas do mercado financeiro visando diferentes objetivos.

Para acessá-las, considere buscar a ajuda de assessores de investimento. Eles podem apresentar esses e outros instrumentos a você e tirar dúvidas — fornecendo mais informações para que você decida se vale a pena realizar os aportes.

Neste artigo, você aprendeu o que é a análise fundamentalista de ações e como ela funciona. Com base nessas informações, é possível avaliar melhor os ativos da bolsa e tomar decisões alinhadas à sua estratégia.

Quer contar com apoio profissional para participar do mercado financeiro? Fale com o nosso time da Atrio Investimentos!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?