1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. Análise técnica: entenda o que é e quando utilizar

Análise técnica: entenda o que é e quando utilizar

Especular na bolsa de valores é possível, mas ter sucesso nas operações envolve utilizar algumas estratégias para avaliar o mercado, os ativos e os derivativos. Por isso, é importante saber o que é análise técnica e como ela funciona.

Ela pode ser usada como base para operações de curtíssimo e curto prazo, como day trade e swing trade. Dessa forma, é possível obter informações sobre os preços e volume de negociação de diversos ativos e derivativos, procurando oportunidades para lucrar.

Neste artigo, você entenderá o que é análise técnica e quando utilizar essa estratégia nas suas operações. Continue a leitura e confira!

O que é análise técnica?

A análise técnica é um método de avaliação de ativos e derivados que se baseia nas oscilações de preços que ocorrem no mercado financeiro. Por se basear em gráficos para entender o comportamento da bolsa no curto prazo, ela também é conhecida como análise gráfica.

O objetivo desse tipo de análise é buscar formas de entender se os preços dos ativos ou derivativos subirão, cairão ou se manterão estáveis. Ela também ajuda a identificar qual deve ser a amplitude da oscilação.

Dessa forma, o especulador pode tomar decisões sobre abrir ou fechar posições com maior embasamento, aumentando as chances de sucesso nas operações.

Ademais, embora a análise técnica de ações seja muito comum, ela não é a única possibilidade para quem deseja lucrar no curtíssimo e curto prazo. É possível usar a estratégia para negociar opções, contratos futuros, minicontratos, criptomoedas ou cotas de fundos negociados em bolsa, por exemplo.

Como a análise técnica funciona?

Para entender como funciona a análise técnica, é necessário saber que ela se baseia na Teoria de Dow. De acordo com essa tese, os preços dos ativos e derivativos na bolsa de valores refletem os acontecimentos relevantes do mercado.

Ou seja, a cotação das ações de uma empresa, por exemplo, reflete notícias relevantes sobre o negócio — e os movimentos externos a ele. Isso porque quem negocia no mercado financeiro tende a reagir às informações e precificar os ativos de acordo com elas.

Esse processo ajuda a justificar o motivo pelo qual o preço de uma ação tende a cair se a empresa divulgar um balanço com resultados negativos, por exemplo. Por outro lado, o movimento de valorização costuma ocorrer se a companhia apresentar uma apuração positiva.

Dessa forma, a análise técnica considera todos os impactos relevantes — internos e externos às empresas e fundos —, se baseando em gráficos que acompanham, em tempo real, a oscilação em preços e volumes de negociações. Assim, o especulador pode tirar conclusões a partir das imagens, sem precisar considerar os fundamentos das empresas, por exemplo.

Outro ponto importante sobre a análise gráfica é o fato de o mercado se movimentar em tendências. Como consequência, é possível avaliar o comportamento seguinte dos preços ao considerar as informações sobre a reversão ou continuidade da tendência observada até o momento.

Para que serve a análise técnica?

Após entender o que é e como funciona a análise técnica, é válido compreender sua função. Na prática, o especulador utiliza o histórico de preço e volume de negociação de ativos e derivativos para buscar projetar o comportamento do mercado financeiro.

É por meio dessa análise que ele pode avaliar se o preço seguirá um movimento de subida ou passará por uma reversão de tendência, por exemplo. A análise também ajuda a perceber até onde o movimento tende a acontecer, auxiliando no planejamento das operações no curto e curtíssimo prazo.

Logo, ela permite ao operador —ou trader, como também é conhecido o especulador — identificar oportunidades para abrir ou fechar posições, visando obter lucro com as variações nos preços. Se a ideia é investir no médio e longo prazo, por outro lado, a análise fundamentalista é mais adequada.

Quais são as principais ferramentas utilizadas?

Existem recursos que favorecem a interpretação dos dados na análise técnica, permitindo entender quais são as expectativas de comportamento dos preços com mais precisão.

Confira as principais ferramentas que podem ser utilizadas pelo trader em suas análises:

Suporte e resistência

Esses elementos ajudam a identificar o comportamento dos preços, indicando limites mínimos e máximos que a cotação do ativo ou derivativo tende a alcançar. Em alguns casos, o movimento pode ser forte o suficiente para romper a resistência ou perder o suporte.

Nessas situações, o antigo suporte se torna a nova resistência ou a antiga resistência assume a função de suporte no gráfico. Essas movimentações, portanto, podem auxiliar na tomada de decisão de abertura ou fechamento de posições.

Padrões gráficos

Os padrões gráficos são figuras formadas em um gráfico — e que podem oferecer informações importantes acerca do possível movimento posterior dos preços de um ativo ou derivativo. Existem padrões simples, como uma sequência de topos, mas também há formações mais complexas, como a bandeira ou flâmula, por exemplo.

Em um gráfico do tipo candlestick, os padrões também podem ser identificados pelas posições e tamanhos dos candles. Assim, cabe a você avaliar quais padrões gráficos condizem com suas análises para uma tomada de decisão mais acertada nas suas operações de especulação.

Médias móveis

Acompanhar o desempenho imediato das operações financeiras pode não ser a melhor alternativa no momento de avaliar um gráfico. Em vez disso, o especulador pode preferir utilizar informações de um período maior.

Nesse sentido, as médias móveis utilizam o preço médio de negociação de um número de períodos. Isso ajuda a reduzir o impacto de variações pontuais, como uma oscilação intensa de preço ocorrida em apenas um dia.

Assim, há como avaliar com maior robustez um determinado movimento de preço e projetar os próximos deslocamentos do ativo ou derivativo.

Bandas de Bollinger

As médias móveis também podem ser complementadas nas bandas de Bollinger. Essa ferramenta representa o desvio padrão da distribuição do preço em relação à média móvel. Como a tendência é a cotação voltar para a média, as bandas de Bollinger ajudam a identificar tendências de alta ou de baixa no mercado.

Dessa forma, o trader tem mais elementos para tomar uma decisão mais robusta de compra e venda no curto ou curtíssimo prazo.

Quando utilizar a análise técnica?

Como você aprendeu, a análise técnica costuma ser mais utilizada quando o objetivo é lucrar em operações de curtíssimo e curto prazo na bolsa de valores. Isso porque as projeções com base na oscilação de preços e de volume de negociações costumam ser mais efetivas em um período limitado.

Também é mais interessante utilizar a análise técnica quando seu perfil de investidor está alinhado aos riscos das operações de curto prazo. Considere, ainda, se você já tem um bom conhecimento sobre ferramentas, gráficos e estratégias de operação para auxiliar nos trades e aumentar suas chances de sucesso.

Agora você sabe o que é análise técnica e quando ela deve ser utilizada. Lembre-se de que as negociações de curto prazo trazem riscos mais altos, então é importante se preparar adequadamente, ter uma boa estratégia e utilizar indicadores adequados para embasar sua tomada de decisão.

Gostou das informações e quer acessar novos conteúdos com exclusividade? Siga nossos perfis no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube e acompanhe as publicações!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?