1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. Como investir no Tesouro Direto? Confira o nosso passo a passo

Como investir no Tesouro Direto? Confira o nosso passo a passo

Entender como investir no Tesouro Direto é o primeiro passo para diversificar a sua carteira e conquistar resultados lucrativos nesse segmento.

Os investimentos em títulos públicos são produtos indicados para todos os tipos de perfis, além de serem acessíveis e terem uma taxa considerável de segurança.

Além disso, também são indicados para iniciantes, por sua facilidade de aplicação e rentabilidades variadas.

Sendo assim, a Atrio Invest preparou um guia especial para te ajudar a entender melhor como investir no Tesouro Direto e quais os benefícios que você poderá ter com essa aplicação.

O que é Tesouro Direto? 

O Tesouro Direto é um tipo de investimento criado em 2002 pelo Governo Federal, através de uma parceria entre o Tesouro Nacional e a B3, a Bolsa de Valores brasileira.

Seu objetivo é facilitar os investimentos de pessoas físicas, principalmente, através de títulos públicos e rentáveis.

Além disso, eles também são uma maneira do governo reunir capital para aplicar em áreas públicas, como melhoramentos na saúde, educação e infraestrutura nacional.

Hoje, entender como investir no Tesouro Direto pode trazer vantagens tanto para o investidor iniciante, quanto para o país.

Isso porque esse segmento funciona, basicamente, como um empréstimo para o Governo Federal. Em troca, ele oferece uma taxa para remunerar o seu título.

Assim, o programa público movimenta seus títulos e capitais de aplicação, enquanto o investidor obtém a rentabilidade do recurso que foi emprestado ao governo. 

E além das facilidades e vantagens que o programa oferece, o Tesouro Direto ainda conta com diversas opções de investimento em seu catálogo. 

Dessa forma, o investidor pode optar pela aplicação que mais combina com seu perfil e suas necessidades e objetivos.

Quais são os principais títulos do Tesouro Direto?

A variedade de títulos oferecidos pelo Tesouro Direto tornam essa aplicação uma alternativa interessante para todos os tipos de investidores.

Atualmente, ele conta com títulos de renda pré-fixada, pós-fixada ou híbrida. Conheça as características dos títulos  que compõe o programa:

1. Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma modalidade atrelada à taxa de mesmo nome, considerada a Taxa Básica de Juros da economia brasileira.

Esse título possui renda pós-fixada, ou seja, o investidor pode ter uma ideia de quanto sua aplicação vai render, mas só saberá o retorno real à medida que o tempo passar. Mas é possível ter uma previsibilidade. 

Isso acontece porque o retorno desse título será o percentual de 100% da taxa SELIC. Essa taxa é dada pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) a cada 45 dias. 

Isso significa que, se o COPOM decidir que a taxa Selic será de 5% ao ano, o Tesouro Selic renderá 5,5% ao ano.

Ou seja, 100% da taxa Selic menos o imposto de renda.

Além disso, o Tesouro Selic possui liquidez diária, de modo que você pode resgatar o valor a qualquer momento, e utilizá-lo para fins variados, como reserva de emergência, por exemplo.

Também é considerada a aplicação mais segura do mercado brasileiro e bem mais rentável que a poupança, que remunera o investimento em 70% da SELIC. (colocar link do artigo da poupança)

2. Tesouro Prefixado

Se você está interessado em saber como investir no Tesouro Direto, também precisa conhecer o título prefixado.

Trata-se de uma das principais modalidades desse investimento, que apresenta uma rentabilidade anual fixada.

Ou seja, você saberá exatamente quanto terá de lucro na data de vencimento.

Nos títulos pré-fixados, existe a oscilação das taxas caso o cliente resgate antes do vencimento.

Se você optar por retirar o investimento antes do prazo, pode ter um retorno menor do que o previsto e até menor que o aplicado

Porém, o movimento contrário também é verdadeiro, você pode resgatar o título pré-fixado antes do vencimento e ainda ter um rendimento muito superior ao contratado.

Por outro lado, se decidir manter o investimento até o vencimento, é possível saber exatamente qual o rendimento do título no período 

O Tesouro Direto oferece títulos prefixados com cupons semestrais e com prazos longos, médios e curtos, dependendo do objetivo 

Essa flexibilidade pode ser interessante para investidores que desejam uma carteira diversificada, mas com a possibilidade de resgate no momento em que for mais oportuno.

3. Tesouro IPCA+

Por fim, o Tesouro IPCA+ também é um dos principais títulos públicos. Ele é um híbrido de renda prefixada com pós-fixada. 

Ou seja, o investidor realiza a aplicação com uma taxa determinada antes do contrato, mas seus recursos também podem variar de acordo com o Índice de Preços para o Consumidor Amplo, ou taxa IPCA, que mede a inflação no Brasil.

Um dos diferenciais desse título é a segurança que o investidor tem ao aplicar nessa modalidade, pois os retornos sempre serão positivos caso o investidor resgate somente no vencimento

Mesmo que a taxa de inflação seja consideravelmente alta, os investimentos têm proteção contra esse prejuízo. 

Vale lembrar que, como uma parte do rendimento é pré-fixada, o título segue a mesma dinâmica do Tesouro Pré.

Ele pode oscilar caso o investidor resgate antes do prazo.

E o Tesouro IPCA+ também oferece rendimentos reais, pois já leva em consideração as taxas de inflação.

tesouro direto passo a passo

Por que aprender como investir no Tesouro Direto? 

Depois de conhecer mais sobre os títulos públicos, muitas pessoas podem se perguntar por que deveriam aprender como investir no Tesouro Direto.

Antes de mais nada, é importante conhecer como funcionam essas aplicações, não apenas para se tornar um especialista em investimentos, mas também para estudar todas as opções disponíveis para você.

Assim, o Tesouro Direto pode ser uma alternativa interessante. Um de seus maiores diferenciais é a variedade de produtos, voltados para todos os tipos de investidores.

Os títulos públicos são excelentes alternativas para compor uma carteira de investimentos, tanto para quem está começando quanto para investidores que já possuem experiência.

Na montagem de uma carteira de sucesso é necessário sempre olhar para o cenário atual e as oportunidades que ele oferece.

Além disso, as taxas de rentabilidade e a liquidez diária dos títulos também é um atrativo.

Em resumo, conhecer como investir no Tesouro Direto permite que o investidor estude todos os pontos positivos e negativos, podendo avaliar melhor o custo-benefício de aplicar em títulos públicos.

Vantagens de investir no Tesouro Direto

Fazer uma aplicação no Tesouro Direto pode trazer uma série de benefícios para o investidor, seja ele iniciante ou experiente.

Para conhecer mais sobre essa modalidade, veja algumas das principais vantagens desse investimento:

1. Acessível

O Tesouro Direto é um dos recursos mais acessíveis, com aplicações mínimas de R$30. Apenas com esse valor já é possível comprar um título e começar a ter rendimentos.

Dessa forma, mesmo pessoas que estão começando a investir, ou não possuem um grande patrimônio para aplicar, podem iniciar sua carteira com um dos produtos oferecidos pelo programa.

2. Segurança

Como mencionamos, o Tesouro Direto também é um investimento seguro. Isso porque é o Governo Federal, o órgão máximo do país, que emite todos os títulos públicos.

Ou seja, a possibilidade do Estado falir é mínima, muito menor que outras instituições financeiras, por exemplo.

Além disso, a baixa variação e as taxas fixadas fazem com que esse investimento seja de baixo risco.

3. Variedade

O investidor que investe no Tesouro Direto possui um catálogo variado de aplicações disponíveis.

Existem produtos de renda pré-fixada, pós-fixada e híbrida, além de liquidez diária, que oferecem maior liberdade para você administrar seus recursos.

Quais são os riscos de investir no Tesouro Direto?

Por outro lado, saber como investir no Tesouro Direto também envolve conhecer os possíveis riscos que essa aplicação possui.

Por isso, confira alguns pontos menos positivos para se atentar antes de adquirir um título público:

1. Rentabilidade a longo prazo

Apesar da rentabilidade atrativa para grande parte dos investidores, os lucros só serão garantidos se o produto for mantido até o prazo de vencimento.

Ou seja, pode ser um recurso mais indicado para quem está planejando investimentos de longo prazo.

O Tesouro Direto oferece a possibilidade de retirada dos rendimentos a qualquer momento, com a liquidez diária. No entanto, a oscilação das taxas que regem os produtos pode ocasionar perda de capital.

Por isso, é importante se atentar para esse fator antes de investir, especialmente se você precisa de retorno a curto prazo.

2. Taxas e tributos

Como a maioria dos investimentos, o Tesouro Direto também apresenta algumas taxas e tributos sobre os rendimentos.

A taxa de custódia é uma delas que é de 0.25% ao ano. 

Já o Imposto de Renda incide sobre os rendimentos, assim como vários outros títulos de renda fixa, seguindo a tabela regressiva.

Mesmo que sejam taxas consideravelmente baixas, é importante conhecer todos os tributos que incidem sobre seus investimentos.

Como investir no Tesouro Direto na prática?

Na prática, aprender como investir no Tesouro Direto é ainda mais fácil e acessível, podendo, inclusive, ser feito pela internet.

Veja o passo a passo para se tornar um investidor de títulos públicos a partir de agora:

1. Escolha o melhor produto para você

Com a variedade de produtos que o Tesouro Direto oferece, o primeiro passo é escolher o recurso que mais combina com você.

Para isso, é importante levar em consideração alguns fatores, como:

  • perfil de investidor;
  • objetivos;
  • capital e patrimônio;
  • tempo de retorno;
  • experiência em investimentos.

Dessa forma, será possível investir no melhor produto do programa, dependendo do seu alinhamento e metas.

De modo geral, os títulos públicos são indicados para todos os tipos de objetivos e perfis. Sejam eles: 

  • aposentadoria;
  • reserva de emergência;
  • viagens;
  • adquirir imóveis ou automóveis;
  • poupança para os filhos.

Com isso, qualquer investidor pode incluir o Tesouro Direto em sua carteira de aplicações, e mais de um produto ao mesmo tempo, para potencializar os rendimentos.

Quanto mais investimentos, mais rendimentos.

2. Se cadastre no Tesouro Direto

Depois de escolher o seu produto, é necessário fazer o seu cadastro no Tesouro Direto, para começar a investir.

Nesta etapa, você poderá contar com um profissional do mercado,  ou diretamente em uma corretora de valores, por exemplo.

Além disso, bancos e instituições financeiras habilitadas também podem fazer esse registro por você. Assim, basta escolher a organização ou corretora de valor que melhor combina com seu perfil.

Optar por uma corretora também traz outros benefícios, com o acompanhamento de profissionais e uma assessoria financeira para te auxiliar durante a sua jornada.

Por isso, considere escolher uma plataforma habilitada para te ajudar durante o seu cadastro, como a Atrio, que conta com especialistas e experiência no mercado.

3. Faça uma simulação

Após escolher o produto e fazer seu cadastro no Tesouro Direto, com a ajuda de uma assessoria financeira, é possível fazer uma simulação dos seus investimentos.

Dessa forma, você terá ainda mais certeza da aplicação que deseja fazer, além de conferir previsões sobre os seus rendimentos finais.

Inclusive, se optar por títulos com renda pré-fixada, por exemplo, é possível saber até mesmo quanto você receberá na data de vencimento.

Essa simulação pode ser feita diretamente no site do Tesouro Direto, ou na plataforma especializada de sua preferência.

4. Transfira o dinheiro

Uma vez que você já escolheu seu investimento e fez a simulação dos rendimentos, basta realizar a transferência do dinheiro que será aplicado.

Para isso, é necessário abrir uma conta em uma instituição financeira. 

No entanto, esta etapa é rápida e simples. Depois de criar a conta específica para investir e transferir o capital, ele já estará disponível para aplicar.

5. Comece a investir

Por fim, é só começar a investir no título que melhor combina com seu perfil e acompanhar os rendimentos! 

É possível realizar esse monitoramento junto da corretora ou plataforma escolhida, ou através do seu cadastro do Tesouro Direto.

Dessa forma, você terá uma carteira de investimentos diversificada e resultados positivos a longo prazo, com mais liberdade para administrar seu dinheiro.

Também é importante acompanhar as tendências e oscilações dos índices que regem as suas aplicações, para ter previsões atualizadas e maior controle sobre seu capital.

tesouro direto passo a passo

Vale a pena aprender como investir no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um dos programas mais conhecidos no mercado brasileiro de investimentos, e pode trazer uma série de benefícios para você.

Mesmo iniciantes no ramo podem obter resultados positivos com títulos públicos, e, além de acessíveis, também oferecem segurança e uma rentabilidade considerável a longo prazo.

Por isso, vale a pena saber como investir no Tesouro Direto e quais as vantagens que esse programa apresenta.

Dessa forma, mesmo que você ainda não seja um especialista, poderá conhecer mais sobre esse segmento e ter maior autonomia na hora de diversificar seus investimentos.

Assim, seja qual for seu perfil de investidor e seus objetivos, o Tesouro Direto pode ser uma boa alternativa para começar a aumentar os seus rendimentos futuros.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?