1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. ETFs: O que são, como funcionam e quando investir?

ETFs: O que são, como funcionam e quando investir?

Você sabe o que são ETFs? Essa é a sigla para exchange traded funds, que também são chamados de fundos de índice. Apesar do nome diferente, esse é um tipo de fundo de investimentos que permite ter uma exposição indireta a diversos ativos de maneira simples.

Assim, os ETFs podem ajudar na sua estratégia financeira e na composição de uma carteira de investimentos diversificada. Mas, antes de investir, é importante conhecer as características do fundo para conferir se essa alternativa está adequada ao seu perfil e objetivos.

Neste artigo, você saberá mais sobre o que são ETFs, como funcionam e outras informações relevantes sobre esse veículo de investimento. Acompanhe!

O que é e como funciona um ETF?

Como você viu, o ETF é um tipo de fundo de investimento. Logo, trata-se de uma modalidade de investimento coletiva, em que os investidores podem adquirir cotas para participar dos resultados do fundo.

O diferencial do ETF em relação aos demais fundos está no fato de que seu objetivo é replicar um índice financeiro. O mercado, inclusive, conta com muitos indicadores. Por isso, também existem diversos ETFs — cada um com a sua estratégia e composição.

Pense, por exemplo, no Índice Bovespa (Ibovespa), que reúne as ações com maior volume financeiro e de negociação da bolsa. Um ETF que busca reproduzir esse índice tem como finalidade conseguir o resultado mais próximo do benchmark, investindo nos mesmos ativos de sua carteira teórica.

Como os demais fundos de investimentos, os ETFs têm gestão profissional. No entanto, essa gestão é considerada passiva. Isso porque não há o objetivo de fazer o gerenciamento de risco ou de superar o indicador selecionado, apenas replicá-lo.

O investimento nessa alternativa é realizado via bolsa de valores brasileira (B3), onde as cotas dos ETFs são negociadas. Também é importante saber que os fundos de índice são do tipo condomínio fechado.

Isso significa que as cotas podem ser compradas no mercado primário — diretamente do emissor — na oferta pública inicial (IPO). Após o encerramento do IPO, o acesso acontece apenas pelo mercado secundário, onde os investidores negociam entre si.

Quais são as principais características de um ETF?

Até aqui você viu o que são e como funcionam os ETFs. Agora é o momento de conhecer as principais características dessa alternativa. Confira a seguir!

Liquidez

Os ETFs geralmente não têm um prazo de vencimento determinado. Se o investidor desejar recuperar o seu dinheiro ou realizar o lucro com a venda das cotas, basta emitir uma ordem de venda no mercado secundário da bolsa de valores.

Nesse sentido, é preciso estar ciente de que a facilidade para converter as cotas em caixa — ou seja, a liquidez — depende do volume de negociações de cada fundo no mercado.

Rentabilidade

Como existem muitos índices e tipos de ETFs, a rentabilidade varia bastante. Por conta da gestão passiva, os resultados obtidos com o investimento dependem do desempenho do índice espelhado pelo fundo.

O lucro com os fundos de índice pode acontecer a partir da valorização das cotas. É importante saber que não há distribuição de dividendos. Eventuais proventos que forem gerados são utilizados para reinvestir no fundo, o que contribui com o aumento do patrimônio.

Tributação

Os lucros obtidos com os ETFs são tributados com o Imposto de Renda (IR). A alíquota é determinada segundo algumas variáveis. Uma delas é o portfólio. Para ETFs focados na renda fixa, ela pode ir de 15% a 25%, conforme a duration (prazo médio) dos títulos alocados no ETF.

Já para ETFs com carteira na renda variável, o imposto é de 15% sobre o lucro na venda das cotas em operações comuns (cuja compra e venda acontecem em dias diferentes). Na operação de day trade — quando a compra e a venda acontecem no mesmo pregão —, a alíquota é de 20%.

Em ETFs cujo portfólio está na renda fixa, o desconto do IR acontece na fonte. Mas, nos fundos com carteira na renda variável, o próprio investidor deve fazer o cálculo do imposto e realizar o seu pagamento via Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF).

Custos

Além do IR, o investidor também precisa ter em mente que os ETFs — assim como os demais fundos de investimentos — contam com determinadas taxas. A principal delas é a taxa de administração, que remunera a gestão do fundo.

Quais são os tipos de ETFs disponíveis no mercado?

Como você viu, o mercado financeiro conta com inúmeros índices, o que amplia as possibilidades dos ETFs. Assim, é interessante saber que existem diferentes tipos de fundos de índice.

Conheça os principais!

  • ETFs de ações brasileiras — são focados nas ações das empresas brasileiras, por exemplo, o BOVA11, que replica o Índice Bovespa;
  • ETFs de ações internacionais — dão acesso indireto a ações internacionais pela B3. Um exemplo é o NASD11, que replica o índice Nasdaq-100, de uma das bolsas dos Estados Unidos;
  • ETFs de mercado imobiliário — foca nesse mercado específico. É o caso do ALUG11, que replica o ETF VNQ (Vanguard Real Estate), da bolsa de Nova Iorque;
  • ETFs de renda fixa — os ETFs desse tipo focam na renda fixa, como o FIXA11, que segue o índice de futuros de taxas de juros (DI);
  • ETFs de ações setoriais — quem se interessa por setores específicos de ações também pode encontrar ETFs do tipo na B3. Um deles é o TECB11, que replica o Índice de Ações Tech Brasil, focado nas empresas de tecnologia que atuam no país;
  • ETFs de criptomoedas — com o aumento da procura pelas criptomoedas, é possível encontrar ETFs que alocam esses ativos. Entre eles está o QBTC11, que acompanha o índice de contratos futuros de bitcoin e oferece 100% de exposição a esse ativo.

Quando investir em ETFs?

Para avaliar se um ETF faz sentido para o seu caso, primeiramente é necessário conhecer o seu perfil de investidor — entre conservador, moderado ou arrojado. Considere que essa é uma alternativa de renda variável — logo, apresenta mais riscos.

Além do perfil, é importante observar se as características dos ETFs se adequam aos seus objetivos financeiros. Para isso, considere não apenas a modalidade em geral, mas os fundos de índice que lhe interessam. Assim é possível avaliar com atenção cada oportunidade.

Agora que você já sabe o que são ETFs, pode analisar se eles fazem sentido para a sua estratégia financeira. Os fundos de índice podem ser uma maneira simples de acessar ativos complexos, mas exigem atenção para que a escolha seja inteligente e alinhada às suas necessidades.

Você tem dúvidas sobre os investimentos? Entre em contato com a Atrio Investimentos e saiba como obter auxílio em sua jornada enquanto investidor!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?