1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. Dicas para escolher os melhores Fundos Imobiliários em 2021

Dicas para escolher os melhores Fundos Imobiliários em 2021

fundos imobiliários

Os fundos imobiliários são alternativas certas para quem deseja investir em imóveis de forma fácil e longe de burocracia. Saiba agora em qual apostar em 2021. 

Muitos brasileiros sonham em começar a investir, contudo, em muitos casos esse pode ser considerado um hábito complicado e de risco. 

Por isso, é comum que existam os investimentos em imóveis por meio da compra física, como é o caso de casas e espaços comerciais. 

Porém, com o espaço que os fundos imobiliários vem ganhando, investir em imóveis  se tornou algo mais simples. 

Sendo assim, se você pensa em apostar no mercado, confira as informações que separamos e entenda como eles podem ser úteis para você. 

Entenda o que são Fundos Imobiliários

melhores fundos imobiliários

Os fundos imobiliários, ou FIIs, são carteiras de investimentos que possuem imóveis físicos ou ativos no setor imobiliário. 

Assim, grupos de investidores são ligados a um ou mais ativos imobiliários, possuindo cotas, que são proporcionais aos seus investimentos. 

Dessa forma, os recursos aplicados são destinados para o desenvolvimento de empreendimentos e imóveis. 

Para ficar ainda mais fácil de visualizar, você pode imaginar que essas cotas são bem similares às ações de empresas que podem ser compradas na bolsa de valores, por exemplo.

Mas nesse caso, temos um setor bem diverso, contando com imóveis comerciais, residenciais, galpões, hospitais, agências bancárias, hotéis, shoppings e papéis (ativos financeiros). Além disso, eles podem já estar construídos ou em processo de construção. 

Portanto, ao adquirir uma cota de um fundo imobiliário, é como se você se tornasse dono de uma parte daquela casa, shopping ou condomínio. 

No caso de vendas, locação e arrendamentos, partes do lucro em cima do imóvel são destinadas diretamente para o seu bolso. 

Como funcionam os FIIs

Na hora de investir em um fundo imobiliário, você provavelmente encontrará uma variedade de possibilidades. 

Assim, o ideal é fazer um estudo cauteloso para saber qual investimento será mais adequado para sua estratégia e objetivo. 

Contudo, é possível entender que os Fundos são divididos em dois grandes grupos: 

Os Fundos de Tijolos, que dizem respeito aos investimentos que são destinados para imóveis físicos, ou seja, ativos reais. 

Nesse caso, você poderá encontrar várias opções de empreendimentos, como shoppings, hotéis, agências bancárias e galpões de lojas, por exemplo. 

Além disso, existe a opção de fazer investimentos que se concentram em um só imóvel e região, ou até aplicações variadas. 

Já nos Fundos de Papel, é feita a compra de títulos que estão ligados ao mercado imobiliário. 

Nesse caso, você irá possuir papéis de renda fixa, em que temos o CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e LCI (Letras de Crédito Imobiliário). 

Ao fazer investimentos, o aplicador adquire as chamadas cotas, que dependendo do valor vão refletir diretamente no retorno que será ganho. 

Portanto, com o intuito de obter o máximo de rentabilidade, o acompanhamento do mercado é feito diariamente por um gestor especializado. 

Dessa forma, ele consegue ter uma visão completa na hora de fazer alocações que vão ter boas rendas com a locação. 

Além disso, existe a valorização do imóvel em si, que também pode gerar renda.

Entenda o que IFIX

Já o Ifix é um índice de retorno total, sendo composto pelas cotas do fundo imobiliário que são listados na B3, nos mercados de bolsa e balcão organizado.

Assim, o objetivo do Ifix é acompanhar o desempenho dos fundos imobiliários, sendo capaz de refletir variações no preço e o impacto da distribuição de rendimentos. 

Então, a cada quatro meses esse índice é revisado e contempla fundos que seguem determinados critérios. 

A B3 possui atuação no ambiente de bolsa e balcão, sendo considerada uma das principais empresas de infraestrutura do mercado financeiro do mundo. 

Como calcular o rendimento de um fundo imobiliário?

melhores fundos imobiliários

Para conseguir saber qual o rendimento do seu investimento no FII, você pode fazer o acompanhamento pelo site do emissor. 

Dessa forma, é possível ter acesso aos relatórios de desempenho e também estatísticas com uma base histórica. 

Outra opção, é acompanhar a cotação pelo Home Broker de sua corretora, onde as cotas são negociadas. Por lá, você deve buscar o fundo imobiliário escolhido, de acordo com a sua sigla. 

Em seguida, você pode optar por métodos para calcular a rentabilidade. Entre as opções temos o rendimento por cota, o cálculo de yields e o cálculo de TIR (Taxa Interna de Retorno). 

No rendimento por cota, são considerados a valorização e os retornos recebidos, como os aluguéis, em determinado período de tempo. 

Já no yields, é feita a divisão dos retornos pela valorização da cota, acrescentando também os juros compostos de cada mês. 

O TIR é muito utilizado pelos gestores de fundos imobiliários. Nele também são levados em consideração o valor pago pela cota, os retornos recebidos em determinado período de tempo.

Porém, ele conta com um fórmula matemática própria, e mostra qual é a taxa de retorno exigida para igualar os retornos futuros com o valor do investimento. 

Saiba quais fundos imobiliários pagam mais dividendos

Dividendos são basicamente os rendimentos que um fundo imobiliário dará como retorno para o investidor. 

Portanto, saber a quantia de lucro que você irá receber por um processo do tipo, é uma informação bem valiosa. 

O problema, é que não é possível determinar qual FII pagará mais dividendos em períodos futuros, sejam em casos de meses ou anos. 

Por isso, antes de realizar qualquer processo, a recomendação é fazer uma análise cuidadosa do cenário. 

Assim, você pode consultar o histórico de pagamentos e outros fatores determinantes para conhecer aquele FII. 

Dessa forma, busque conhecer os imóveis e sua localização, para saber se existem possibilidades de valorização futura. 

Consulte também sua liquidez e quantidade de investidores que negociam naquele fundo. Além de saber os valores de entrada. 

Como escolher o melhor fundo imobiliário em 2021?

Assim, se você possui interesse em investir em fundos imobiliários em 2021, é importante conhecer os tipos de aplicações que eles realizam. 

Além disso, outra questão fundamental na hora de escolher um fundo para investimento, é entender quais são as estratégias adotadas por eles. 

Confira a seguir algumas informações sobre as carteiras de investimentos que podem ser úteis para você no momento de decisão. 

Fundos de desenvolvimento

No caso de fundos de desenvolvimento, existem dois modelos distintos, o desenvolvimento para renda e o para venda. 

Sendo assim, no desenvolvimento para renda, o patrimônio líquido é investido em incorporações e outros empreendimentos imobiliários, estando em projeto ou em construção. 

A ideia é ter uma renda com a locação ou arrendamento desses imóveis quando eles já estiverem prontos. 

Porém, o que diferencia o desenvolvimento para venda, é que ao invés dos imóveis serem alugados futuramente, eles são preparados para a venda. Também gerando lucro.

Fundos de renda

Os fundos de renda são voltados para os investimentos em imóveis que já estão construídos, e dessa forma, podem gerar lucro por meio de locação e arrendamento. 

Fundos de títulos e valores mobiliários

Outra opção é o investimento em fundos de títulos e valores mobiliários, que consiste na compra de CRI’s (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e LCI’s (Letra de Crédito Imobiliário).

Nesse caso, também é possível investir em fundos de participação (FIPs) e nos recebíveis e fundos de direitos creditórios (FIDCs). 

Lembrando que em todos os casos são títulos diretamente ligados ao mercado imobiliário. 

Híbridos

Entretanto, os fundos híbridos podem ser considerados um caso bem particular.  Para ser determinada como híbrida, a estratégia de investimento não pode ser enquadrada em nenhum dos casos anteriores.

O que acontece se um fundo imobiliário acaba?

Quando um fundo imobiliário é criado, podem existir vários fatores que vão contribuir para a forma como ele será composto. 

Um desses fatores é o prazo de duração. Afinal, o fundo pode ter sido pensado para uma estratégia específica e posteriormente terá um fim. 

Esse prazo sempre será definido em um regulamento e os cotistas terão acesso à ele, podendo fazer alterações em uma Assembleia. 

Contudo, se o fundo está próximo de uma data de encerramento, todo o seu patrimônio é liquidado, e os valores das vendas são distribuídos entre todos os cotistas. 

Tem como perder dinheiro com fundos imobiliários?

Apesar de serem investimentos seguros e acompanhados constantemente, os fundos imobiliários também podem apresentar um certo nível de risco. 

Isso porque inúmeros fatores externos podem causar impactos diretos em imóveis. Em casos de desastres naturais, por exemplo, o imóvel pode sofrer danos. 

Além disso, em crises econômicas, existe a possibilidade de não conseguir alugar os imóveis, ou o inquilino não conseguir realizar o pagamento. 

Por isso é tão importante fazer um estudo prévio dos fundos em que se pretende investir, além de apostar em diversificações para ter mais segurança e não ficar preso a um único cenário. 

Conclusão 

Apostar em fundos imobiliários pode ser a saída para quem busca fazer investimentos no cenário de imóveis sem precisar necessariamente adquirir um. 

Portanto, no processo você se torna dono de uma parte daquele imóvel, seja ele uma residência, shopping ou de outro tipo. 

Dessa forma, é possível receber um retorno em cima de locações e arrendamentos, garantindo uma fonte de renda de forma mais simples. 

Assim, de forma prática e com acompanhamentos de fácil acesso, é possível saber quais são os retornos e quais fundos são mais adequados para seus objetivos.

Em suma, estudando o mercado e se preparando para investir, o fundo imobiliário pode ser uma forma de investimento tranquila e com bons frutos. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?