1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. Investir a curto ou a longo prazo? Qual a melhor opção para montar a carteira?

Investir a curto ou a longo prazo? Qual a melhor opção para montar a carteira?

Escolher os investimentos certos para a sua carteira exige que você avalie o funcionamento e característica deles, de acordo com os seus interesses. Considerando que, muitas vezes, é preciso alcançar os objetivos em determinado período, você deve decidir entre investir a curto, médio ou longo prazo.

Por conta disso, é comum surgirem dúvidas sobre qual é a melhor alternativa para o seu portfólio. Portanto, é preciso entender melhor sobre cada alternativa e suas preferências para determinar o que pode se encaixar melhor na sua estratégia.

A seguir, descubra como é investir a curto, médio e longo prazo e saiba como definir as melhores opções para montar a sua carteira!

O que são investimentos de curto prazo?

Os investimentos de curto prazo são oportunidades do mercado financeiro cujo prazo de retorno costuma ser de até 1 ano. Como esse prazo apresenta mais riscos em relação aos movimentos do mercado, é comum buscar investimentos mais seguros para o período.

Assim, diversos investimentos de renda fixa são classificados como de curto prazo. Alguns exemplos são:

  • Tesouro Selic;
  • Certificados de depósito bancário (CDBs);
  • Fundos DI, entre outros.

O que são investimentos de médio prazo?

Já os investimentos de médio prazo têm um vencimento em níveis intermediários. Normalmente, eles podem ser resgatados ou consolidam os resultados em períodos que variam de 1 ano a 5 anos.

Em muitas situações, esses são investimentos com um nível menor de liquidez, devido às condições previstas para o resgate. Entre as alternativas que podem ser consideradas de médio prazo, estão:

  • Tesouro Prefixado;
  • CDBs;
  • letras de crédito imobiliário (LCIs);
  • letras de crédito do agronegócio (LCAs);
  • alguns fundos de investimentos e outros.

O que são investimentos de longo prazo?

Já os investimentos de longo prazo são aqueles que têm vencimento ou consolidação de resultados em um período superior a 5 anos. Portanto, essas alternativas têm um prazo de maturação maior — e, muitas vezes, podem oferecer maior potencial de retorno.

É comum que investimentos com riscos maiores sejam considerados para o longo prazo. Afinal, o período ajuda a diminuir o impacto da volatilidade e dilui parte dos riscos.

Por isso, alguns dos investimentos que costumam se encaixar no longo prazo são:

  • Tesouro IPCA+;
  • Certificados de recebíveis imobiliários (CRIs);
  • Certificados de recebíveis do agronegócio (CRAs);
  • Debêntures;
  • Ações;
  • Fundo de ações;
  • Fundos imobiliários (FIIs);
  • Fundos de índice (ETFs);
  • Certificados de depósitos de valores mobiliários (BDRs);
  • Previdência Privada e outros.

Qual a importância de considerar o prazo na escolha do investimento?

Tão necessário quanto conhecer as características das alternativas de investimento de diferentes prazos é saber por que esse aspecto é relevante. Um dos motivos está relacionado aos seus objetivos financeiros, cujos prazos também variam.

Se a sua intenção for realizar um plano em poucos meses, suas necessidades financeiras serão diferentes de quem tem o foco na aposentadoria daqui a décadas, por exemplo. Por isso, é crucial contar com os investimentos que contemplem cada prazo das metas financeiras.

Investir dessa maneira, portanto, permite que você tenha a disponibilidade de recursos necessária para cada plano. Organizar seus aportes de acordo com o prazo permite concretizar um objetivo previsto para o futuro de forma mais fácil.

O que mais é preciso avaliar no momento de montar a carteira?

Apesar de o prazo de retorno do investimento ser um aspecto relevante, ele não é o único ponto que deve ser analisado durante o processo de montagem da sua carteira. Você também deve observar outros aspectos essenciais: segurança, liquidez e rentabilidade.

Juntos, os três elementos compõem o chamado tripé dos investimentos. A segurança diz respeito ao nível de risco dos investimentos. Normalmente, títulos de renda fixa são mais seguros, enquanto investimentos de renda variável apresentam maior risco.

Contudo, o risco tem relação inversamente proporcional com a rentabilidade. Logo, os investimentos mais arriscados costumam oferecer potencial de retorno mais alto. De forma semelhante, as aplicações mais seguras têm rendimentos limitados.

Por fim, a liquidez se relaciona com a facilidade com que um investimento pode ser transformado em dinheiro novamente. Esse fator tem relação com o prazo, mas não se limita a ele. Por isso, é possível encontrar investimentos de longo prazo com liquidez diária ou de curto prazo com liquidez apenas no vencimento.

Afinal, qual é o melhor prazo para investir?

Como você viu até aqui, existem diferentes alternativas que podem ser os melhores investimentos a curto, médio e longo prazo. Na hora de montar seu portfólio, entretanto, não é preciso escolher um prazo em detrimento dos outros.

Na verdade, o mais indicado é realizar a diversificação da carteira. Por isso, vale a pena focar nos três períodos de vencimento para atender a interesses distintos e trazer características variadas para a sua estratégia de alocação.

Dessa forma, você pode aproveitar o potencial de desempenho das aplicações financeiras em diferentes momentos. Assim, nem todo o dinheiro investido fica sem liquidez e nem todo o montante precisa ser mantido em alternativas de rentabilidade limitada, por exemplo.

Como montar uma carteira de investimentos adequada?

Sabendo da necessidade de investir a curto, médio e longo prazo, é o momento de entender como compor a carteira. Nesse sentido, você deve considerar três pontos principais:

  • seu perfil de investidor;
  • seus objetivos financeiros;
  • o prazo de suas metas.

A partir disso, é possível escolher os investimentos para cada resultado desejado, sempre equilibrando com a sua tolerância ao risco. Você pode optar por títulos pós-fixados do Tesouro Direto para manter sua reserva de emergência em segurança, por exemplo.

Por outro lado, pode recorrer ao investimento em ações para construir resultados a longo prazo. Já o investimento em títulos de prazo intermediário pode ajudá-lo a aproveitar certas condições específicas do mercado — e a realizar metas mais próximas.

Assim, é possível compor sua carteira de maneira estratégica, diversificada e adequada às suas necessidades e interesses.

Neste artigo, você descobriu o que representa investir a curto, médio e longo prazo. Considerando as características dos investimentos, também aprendeu que recorrer aos três períodos pode ajudá-lo a diversificar a carteira e a atingir metas financeiras com prazos distintos.

Essas informações foram úteis? Para conhecer melhor os diferentes prazos e o funcionamento dos investimentos, fale conosco da Atrio Investimentos!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?