1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. LCI e LCA: entenda como funciona esses investimentos de renda fixa!

LCI e LCA: entenda como funciona esses investimentos de renda fixa!

As alternativas para suas aplicações na renda fixa são bastante amplas. Afinal, essa classe disponibiliza diversos títulos e fundos para os investidores. Entre as opções que você pode encontrar estão os investimentos em LCI e em LCA.

Conhecer esses títulos, suas principais características e as diferenças para outras aplicações é importante para basear suas decisões de investimento. Assim, você pode avaliar se LCI e LCA fazem sentido para seus objetivos financeiros.

Quer saber mais? Continue a leitura desse texto para aprender as principais informações sobre os investimentos em LCI e LCA!

O que é LCI e LCA?

As letras de crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA) são dois títulos de renda fixa disponíveis aos investidores. Por serem dessa classe de investimentos, elas funcionam como uma relação de crédito entre credor e devedor.

Então o investidor, ao aplicar nesses títulos, empresta recursos à instituição que os emitiu. Como remuneração pelo empréstimo, o emissor se compromete a devolver os valores investidos no resgate somados a uma rentabilidade.

A lógica da rentabilidade já é conhecida antes do aporte e pode ocorrer de três maneiras:

  • pós-fixada: a remuneração é atrelada a um índice financeiro, como a taxa Selic;
  • prefixada: a rentabilidade acompanha um percentual fixo ao ano, como 10%;
  • híbrida: os ganhos combinam características das duas alternativas anteriores. Há vinculação a um indexador mais uma taxa prefixada, como Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) + 5% ao ano.

Também é preciso considerar o prazo de vencimento dos títulos. Nesse contexto, são os emissores que definem essa data. Logo, é possível encontrar LCIs e LCAs de curto, médio ou longo prazo. Na data final, o investimento será obrigatoriamente resgatado.

Ademais, há alternativas que permitem o resgate antecipado com o emissor. Então também pode haver um prazo de carência menor do que o vencimento. Nesses casos, cumprida a carência, é possível fazer o resgate a qualquer dia.

Quais são suas principais características?

Agora que você já sabe o que são as LCIs e as LCAs, é possível conhecer suas principais características. Essas informações são importantes para basear suas decisões, então vale ter atenção aos pontos que serão apresentados.

Confira!

Emissor

A primeira característica relevante das LCIs e LCAs diz respeito ao seu emissor. Quem emite esses títulos são as instituições bancárias brasileiras, de acordo com suas necessidades e expectativas em relação à captação de recursos.

Dessa maneira, os bancos decidem emitir as LCIs e LCAs e as lançam no mercado com regras próprias. Por sua vez, os investidores podem encontrar diversas alternativas para avaliar as condições e o risco de crédito atrelado a cada emissor.

Utilização dos recursos

Uma característica importante das LCIs e LCAs, que as diferenciam de outros títulos bancários, trata da utilização dos recursos captados por esse investimento. Isso porque elas têm uma vinculação em relação ao uso do capital.

As LCIs devem utilizar os recursos captados junto aos investidores para financiar as atividades relacionadas ao mercado de imóveis. Assim, os bancos podem utilizar os valores para fomentar o mercado imobiliário, proporcionar ofertas de financiamento e auxiliar em outras atividades do setor.

Já as LCAs servem para captar valores para fomentar as atividades do agronegócio. Desse modo, os setores do banco que trabalham com a área rural podem utilizar esses recursos em seus serviços.

Riscos

Outro ponto de interesse dos investidores em relação às LCIs e LCAs diz respeito aos riscos envolvidos nessas aplicações. Aqui, é preciso considerar o risco de crédito, que trata da possibilidade de a instituição financeira não honrar seus compromissos.

É preciso ter em mente que existem riscos de que o banco emissor do título entre em falência ou tenha outros problemas financeiros, por exemplo. Nessas situações, ele não terá recursos para remunerar os investidores ou mesmo devolver os valores investidos no momento do resgate.

Contudo, as letras de crédito contam com uma proteção contra essa possibilidade. Trata-se da garantia fornecida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Essa entidade privada criada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) traz mais segurança aos investidores em relação à inadimplência.

Na prática, as LCIs e LCAs têm a garantia do FGC em um montante de até R$ 250 mil por CPF e instituição financeira. Ainda, há um limite global de R$ 1 milhão por CPF ou CNPJ que se renova a cada 4 anos e pode ser usado em diversas instituições.

Impostos

Por fim, uma das principais características das LCIs e LCAs é a isenção de Imposto de Renda (IR) para pessoas físicas. Diferentemente da maioria das aplicações da renda fixa, elas não sofrem recolhimento de IR, independentemente do prazo de investimento.

Como LCI e LCA se diferenciam do CDB?

Ao estudar alternativas da renda fixa, os CDBs (certificados de depósito bancário) são títulos populares entre os investidores. Dessa forma, é comum ter dúvidas sobre suas diferenças para as LCIs e LCAs.

Um dos principais pontos que diferenciam as alternativas é a destinação de recursos, já que os valores recebidos com os CDBs não têm lastro em um setor específico.

Ademais, uma grande distinção é a cobrança de IR. Afinal, o investimento em CDB não garante isenção de IR. Nesse caso, a alíquota varia entre 22,5% a 15%, dependendo do tempo de aporte entre o investimento e o resgate.

Quais são as vantagens e desvantagens desses títulos?

O investimento em LCIs e LCAs traz vantagens e desvantagens aos investidores. Entre os benefícios, vale destacar a isenção de IR, que aumenta a rentabilidade líquida do aporte. Outra vantagem é a possibilidade de investir com retorno conhecido previamente.

Por serem alternativas de renda fixa, você sabe, antes do investimento, quais serão os ganhos ou, pelo menos, a lógica de cálculo desse rendimento. Contudo, isso traz uma desvantagem: apesar de haver previsibilidade, também há limitação da rentabilidade.

Ou seja, o título não renderá mais do que a rentabilidade divulgada. Além disso, é preciso ficar atento à desvantagem da liquidez. Muitas LCIs e LCAs possuem prazos de carência, o que impossibilita o resgate dos aportes por um tempo ou exigem que você recorra ao mercado secundário, o que pode gerar perdas.

Como investir em LCI e LCA?

Depois de conhecer mais sobre os investimentos em LCI e LCA, você ficou interessado em investir nesses títulos? Para isso, é preciso ter uma conta em uma corretora de valores.

Na plataforma, você encontrará diversas alternativas de títulos, inclusive LCIs e LCAs. Assim, é possível avaliar as alternativas e fazer o aporte com o dinheiro em conta. Contudo, lembre-se de sempre basear suas decisões nos seus objetivos e perfil de investidor.

Como você viu, os investimentos em LCI e LCA podem oferecer vantagens. Contudo, é fundamental considerar os riscos das alternativas e também suas desvantagens para não ter surpresas negativas com a aplicação!

Quer contar com uma assessoria de investimentos para aprender melhor como escolher os títulos? Então fale com a Atrio! Agende uma reunião com um de nossos especialistas no formulário abaixo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?