1. HOME
  2. »
  3. Investimentos
  4. »
  5. Mercado futuro: o que é, como funciona e como fazer hedge com ele?

Mercado futuro: o que é, como funciona e como fazer hedge com ele?

A B3, a bolsa de valores brasileira, tem diversos ambientes de negociação — que podem estar alinhados a diferentes objetivos. Além de investir com foco no longo prazo, por exemplo, é possível especular e fazer hedge da carteira.

Para entender como adotar uma dessas estratégias de operação, é interessante conhecer o que é o mercado futuro. Afinal, ele contempla derivativos que ajudam operadores a se posicionarem de modo a proteger o próprio portfólio ou buscar lucros com a variação de preços.

Quer saber como se proteger utilizando o mercado futuro? A seguir, entenda melhor esse ambiente e descubra como usá-lo a favor da sua estratégia de investimento!

O que é o mercado futuro e como ele funciona?

O mercado futuro é um ambiente da bolsa de valores onde são negociados derivativos conhecidos como contratos futuros. Eles permitem que os operadores se posicionem contra (vendido) ou a favor (comprado) do movimento de um ativo-objeto.

Esses contratos são padronizados e envolvem a liquidação em uma data futura. Vale notar que, nesse mercado, a liquidação tende a ser apenas financeira. Logo, não há a entrega de bens físicos, somente a troca de valores monetários.

Outra característica do mercado futuro é o ajuste diário. Ele prevê que, ao final do pregão, haja uma avaliação da posição do contrato. Se houver um movimento a favor da posição, há a compensação de ganhos na conta do operador. Do contrário, ocorrem descontos.

Ainda, vale saber que o mercado futuro prevê a realização de alavancagem. Isso é possível porque não é necessário oferecer, em dinheiro, o montante financeiro para posição nos contratos. Em vez disso, há como disponibilizar uma margem de garantia — que pode ser dada em dinheiro ou em investimentos.

Quais os principais contratos futuros disponíveis?

Agora que você conhece as características gerais do mercado futuro, é interessante entender as principais diferenças entre os contratos futuros existentes. Eles se classificam, principalmente, pelo ativo-objeto ao qual se relacionam.

A seguir, descubra quais são as principais alternativas disponíveis para operar!

Commodities

As commodities são produtos essenciais, por serem consideradas matérias-primas em diversas cadeias produtivas. Os contratos futuros de commodities da bolsa brasileira, por sua vez, permitem que os operadores se posicionem sobre o preço futuro desses produtos.

Entre as principais commodities estão:

  • soja;
  • milho;
  • açúcar;
  • petróleo;
  • etanol;
  • minério de ferro;
  • ouro e outros.

Índice

Já os contratos futuros de índice se relacionam a taxas e indicadores de mercado. É o caso de um contrato que tem como ativo-base o Ibovespa, principal indicador do mercado acionário brasileiro. Ainda, existem contratos referentes a outros indicadores brasileiros e internacionais.

Além do contrato cheio, também há o minicontrato de índice. Ele é uma modalidade mais acessível e, consequentemente, exige uma margem de garantia menor. O lote mínimo é de apenas um minicontrato — enquanto os cheios têm lote mínimo de 5 contratos.

Moeda

Os contratos futuros de moedas fazem referência a um câmbio diferente do real. Com isso, permitem que você se posicione a favor da valorização ou da queda no preço de negociação da moeda.

Assim como acontece com o contrato de índice, existe o minicontrato de dólar. Desse modo, é possível se posicionar em relação à movimentação da moeda norte-americana de maneira mais acessível, buscando proteção contra as variações dela.

Qual a relação do mercado futuro com hedge?

Até aqui você descobriu as principais características do mercado futuro e de seus contratos. Agora, vale entender para que ele serve. Uma das possibilidades envolve a especulação. Nesse caso, o objetivo é buscar lucros no curto ou curtíssimo prazo com as oscilações no preço do ativo-objeto.

Porém, o mercado futuro também pode ser utilizado para hedge financeiro. Nesse cenário, a intenção é proteger a carteira, evitando ou diminuindo o impacto de eventuais quedas da carteira. Essa relação existe porque o contrato futuro permite trazer mais previsibilidade às condições variáveis do mercado.

Por exemplo, quem tem obrigações em dólar corre o risco de a cotação da moeda  norte-americana subir e encarecer suas dívidas. Assim, ter uma posição em contratos futuros de dólar permite se expor à variação da moeda no mercado financeiro e compensar esse movimento, o tornando mais previsível.

Isso permite controlar melhor os riscos de perda. Como o objetivo é se proteger de uma alta do câmbio, é possível operar comprado no mercado futuro. Se, até a data futura, o dólar realmente subir, o operador apura lucros com a liquidação do contrato de dólar.

Com isso, os ganhos no mercado futuro podem ajudar a complementar o montante destinado a cumprir as obrigações em dólar. Já se o câmbio cair, o operador perde no mercado futuro, mas esse prejuízo pode ser compensado pelo fato de as dívidas em dólar terem ficado mais baratas.

Como você pode ver, o objetivo da operação de hedge não é exatamente ter ganhos, e sim trazer previsibilidade. Logo, mesmo que a negociação acabe em perda no mercado futuro, ela pode ter alcançado o objetivo de proteger o investidor.

Como fazer hedge com o mercado futuro?

Caso você tenha interesse em negociar no mercado futuro, vale saber que qualquer operador pode fazer hedge por meio dele. A possibilidade se estende tanto a pessoas físicas quanto jurídicas, em diferentes contextos.

Mas, para operar nesse mercado com mais segurança, é preciso buscar conhecimentos sobre ele e avaliar seu perfil de investidor. Desse modo, fica mais fácil identificar quais contratos futuros podem ajudar a alcançar o nível desejado de proteção.

Nesse contexto, também é importante contar com o auxílio de uma assessoria de investimentos. Assim, você poderá tirar dúvidas e receber o suporte dos assessores para entender como realizar as operações com foco na proteção.

Agora você sabe o que é o mercado futuro e como ele pode ajudar a fazer hedge de carteira. Se esse ambiente fizer sentido para você, pode ser interessante aproveitá-lo para proteger seu portfólio. Então utilize as informações que viu neste conteúdo e coloque-as em prática!

Gostou deste artigo? Conte com o apoio de profissionais certificados do mercado financeiro ao falar conosco da Atrio Investimentos!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

quer saber mais sobre investimentos?